Acreditando no essencial

Sou Marisa Bussacos, uma pessoa focada em trabalhos que estejam conectados com o meu propósito de vida.

Aos 18 anos entrei na faculdade de propaganda e marketing com a certeza de que tinha feito a escolha para a vida toda. Gostava das propagandas de marcas que ousavam como a United Colors of Benetton e decidi que queria através das empresas impactar a vida das pessoas, fazê-las refletir sobre seus reais valores. De alguma forma, eu estava certa, era uma escolha para a vida toda mesmo.

Fui trabalhar na AIESEC, uma associação de estudantes. Aprendi como realmente é possível trabalhar com algo que se acredita e que nos faz ter energia para levantar todos os dias. A missão da organização é buscar a paz e a realização do potencial humano. Jovens do mundo inteiro trabalhando de forma voluntária com essa mesma visão, realmente era por aí que eu queria seguir. Fui percebendo que trabalhar com o que se acredita é um valor essencial para mim.

Depois de algum tempo trabalhando lá, decidi ir para o Canadá ter uma experiência em uma cultura diferente.

Ao voltar para o Brasil, li o livro da Anita Roddick, de como ela fundou a Body Shop. Essa era uma empresa que tinha alma, estava no sangue deles fazer a diferença na sociedade. De novo, tinha uma crença por trás do negócio, o que fazia toda a diferença.

Trabalhando com paixão

Nem preciso dizer que voltei para o Brasil pensando em ir para a Inglaterra trabalhar no escritório deles. Mas, no Brasil não existem empresas assim? Foi então que comecei a estudar mais sobre a Natura e decidi que eu precisava trabalhar nessa empresa. A Natura tem um posicionamento muito claro de identificação com a comunidade de pessoas que se comprometem com a construção de um mundo melhor. E como sempre, vinham os pessimistas e descrentes me dizer: Isso tudo é só marketing, você acredita que uma empresa quer algo além do lucro?. Eu acreditei, não só nisso, mas que eu também poderia passar em um processo onde você compete com 6 mil pessoas para uma vaga. Acreditei na empresa, acreditei na minha identificação com a marca e acreditei que eu seria capaz de conseguir passar no processo.

Trabalhei na área de propaganda e marca, aprendi muito e virei fã dos presidentes da época. São pessoas que construíram a empresa com paixão: pelos produtos que produzem, pelos colaboradores e uma consciência social e ambiental fantástica. Quando uma empresa ou uma organização me conquista por ser responsável, mergulho de cabeça no negócio e viro divulgadora.

Procurando e seguindo minha intuição

Marisa Bussacos - Minha História - Jaipur Carpets, Índia
Jaipur Carpets, Índia
Marisa Bussacos - Minha História - Tecelões rurais, Índia
Tecelões rurais, Índia

Após me formar saí da Natura, eu precisava de um novo desafio, precisava conhecer a realidade de outra empresa, outro país, enfim, sair do meu contexto e ir para um totalmente diferente e me desenvolver como pessoa e profissional. A experiência lá foi ótima, ao longo do tempo percebi que era com desenvolvimento de pessoas que eu tinha paixão em trabalhar.

Fui para a Índia trabalhar com desenvolvimento sustentável. Era uma empresa indiana que exportava tapetes feitos a mão e fundou uma ONG com o objetivo de melhorar as condições de vida dos tecelões que viviam em vilas rurais muito pobres: organizando cooperativas, trabalhando com microcrédito, capacitando e melhorando a autoestima dessas pessoas.

Penso que a intuição é a maneira mais rápida e assertiva para uma pessoa fazer escolhas na vida. Quando estou em dúvida do que fazer, de que caminho seguir, costumo ouvir o meu coração, perceber para onde ele vai me direcionar e depois organizo tudo racionalmente pra ir para a ação.

Empreendendo um espaço para nutrir relações

Após seis meses fora do Brasil voltei perdida: para onde vou? Quem sou eu? O que quero?

Conversei com inúmeras pessoas, fiz alguns processos e acabei dando continuidade a um antigo projeto de trabalhar na evolução dos negócios dos meus pais. Foi então que surgiu a Ekoa Café, um espaço para nutrir relações, uma cafeteria. Fundei em 2008 e por lá passaram diversas empresas, ONGs e pessoas focadas em construir um mundo melhor, uma verdadeira comunidade.

Marisa Bussacos - Minha História - Ekoa Cafe Reportagem para Revista Brasil em Código jul/ago/set 2012
Marisa Bussacos - Minha História - Café Compartilhado no SPTV
Café Compartilhado no SPTV.

Como o coaching foi entrando em minha vida

Marisa Bussacos - Minha História - Palestra EJT - Encontro de Jovens Transformadores do Brasil / dezembro 2015 / Tema: Propósito de vida
Palestra EJT

Em 2009 fiz o meu primeiro processo de Coaching e identifiquei junto à minha Coach essa minha vocação de trabalhar com desenvolvimento humano, mas só criei coragem de focar o meu trabalho completamente nisso 4 anos depois.

Enquanto isto, geri a empresa Ekoa por 7 anos e tenho muito orgulho do que ela se tornou e de como foi a transição para outros donos, que optaram por manter a marca e a proposta.

Em paralelo com a Ekoa, me formei em um curso intenso e profundo de Coaching baseado na Antroposofia. Desde então venho atuando: trabalhando com grupos e fazendo atendimentos individuais. Essa experiência tem sido incrível, sabe quando você sabe que está no caminho certo e fazendo o que você veio para fazer nesse mundo? Trabalhar com a facilitação do processo de desenvolvimento de pessoas é, sem dúvida, o meu chamado. Amo o que faço e a cada grupo, cada processo que chega ao fim tenho a certeza de que é assim que quero atuar!

Essas são as minhas experiências, trabalhando sempre pensando no que está ao meu redor e em como conseguir um grande impacto positivo para todos. Não importa em que empresa, em que comunidade, em que cidade, em que país, acredito que sempre é possível colocar os nossos talentos à serviço das pessoas e construirmos algo que não seja bom apenas para nós.

Qual a receita para isso? Tenha muita energia, confiança, vontade de fazer acontecer e seja honesto com as suas palavras e ações, não se deixe desviar por pessoas que não acreditam em você. O mundo esta aí, precisando de nós, precisando que pessoas comuns como eu, como você, AJAM.

Qual é a sua escolha?